ENTIDADES DO VAREJO FORAM ATIVAS NA NEGOCIAÇÃO DOS PRAZOS

O presidente do Sincopeças do Rio Grande do Sul, Gerson Nunes Lopes, encaminhou em 8 de maio oficio ao Inmetro solicitando a postergação do ultimo prazo para a comercialização de peças não certificadas conforme a Portaria 302/2011. Lopes conta que o prazo solicitado inicialmente era maior que os 24 meses e se estenderia ate o final de 2016, cerca de dois anos e meio tempo que ele julga adequado pelos varejistas para administrarem o prejuízo. “Inclusive porque os produtos em estoque já tiveram o ICMS recolhido nas indústrias em todos os estados brasileiros que trabalham em regime de Substituição Tributaria”, lembra.

O dirigente lembra ainda que a ação conjunta dos sindicatos partiu de uma palestra sobre o processo de certificações em Porto Alegre, em abril, com a participação dos representantes do Inmetro. “Na ocasião, diante das duvidas dos varejistas presentes, eles levantaram a possibilidade de prorrogação do prazo. Elaboramos então uma carta com as razoes para a extensão e enviamos ao setor de regulamentações do órgão. E, aproveitando o ensejo, divulgamos aos outros Sincopeças no Brasil sugerindo que fizessem o mesmo”.

Presidente da Associação Nacional do Brasil, do Sincopeças do Ceara e de Assopeças Ceara, Ranieri Leitão explica que o pleito da categoria se deu também em função da dificuldade de mensurar o montante das mercadorias sem selo comprometendo o capital das empresas. “Entendemos essa ação conjunta das entidades como uma economia de valor incalculável para o varejo, pois o volume de itens é muito grande. Dois anos é um tempo suficiente para a venda dos itens”.

Em São Paulo, Francisco La Tôrre, presidente do Sincopeças-SP também participou da reuniões realizadas nos últimos meses, como Sindicato Nacional da Industria de Componentes para Veículos Automotores(Sindipeças) e Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças (Andap).

20th August 2014 Notícias

Leave a Reply